ÚLTIMAS POSTAGENS

#SemVergonha: Perguntas que você não tem #coragem de fazer nem ao médico.

Para que você não sofra com aquelas questões que não consegue contar a ninguém, consultamos especialistas, desmitificamos alguns medos e explicamos como amenizar esses incômodos femininos.


1. Meu cocô é viscoso e cheira muito mal. Por quê?

R: Preste atenção no que você come. Derivados de leite e açúcar e alimentos gordurosos fazem com que o cocô fique pegajoso. "Não digerimos bem a lactose do leite da vaca, porque nosso organismo produz pouco da enzima chamada de lactase. Isso faz com que o leite fermente no estômago, deixando as fezes mais alcalinas e malcheirosas", explica Flávio Quilici, membro da Federação Brasileira de Gastroenterologia. E como seria um número dois perfeito? Com cerca de 10 cm, de marrom-médio e que não exija força para sair.

Adicione à sua dieta bastante água e comidas com muitas fibras, como frutas, rúcula, agrião, cenoura e farelo de aveia. "Esses alimentos aceleram o movimento do bolo fecal através do intestino e ajudam a controlar os níveis de pH", diz Daniela Pirotini Cierro, da Associação Brasileira de Nutrição. Se nada funcionar, ou se você tiver diarreia ou constipação intestinal (fezes excessivamente duras e pequenas), procure o seu médico. Ele pode recomendar suplementos de fibras insolúveis para você.

2. Tenho candidíase muitas vezes por ano e pomadas farmacêuticas raramente funcionam. O que fazer?

R: "Durante a vida, 20% das mulheres vão ter candidíase alguma vez", diz Carla Kikuchi, ginecologista do Hospital e Maternidade Santa Joana, em São Paulo. Quando os sintomas são repetitivos, pode ser sinal de que a imunidade não está boa. Tomar antibióticos, ter diabete, carência de ferro, stress e falta de sono podem desencadear o problema. Alguns (péssimos) hábitos também tendem a alavancar as crises e devem ser mudados. "Protetor diário e calças apertadas aumentam a temperatura do local e favorecem o aparecimento do fungo", diz Aleksandr Miyahira, mastologista e membro da Sociedade de Ginecologia e Obstetrícia do Rio de Janeiro. Se faz menos de três meses desde a última infestação, há chances de os fungos terem permanecido - provavelmente porque você não fez o tratamento durante o tempo suficiente. Procure o seu ginecologista (ele está acostumado a lidar com isso).

3. Tenho espinhas muito feias embaixo dos seios e nas nádegas. O que pode ser isso?

R: Os sintomas do bumbum podem ser apenas uma inflamação dos folículos pilosos, causada por uma depilação malfeita. "Esfolie a pele da região e, após o banho, use creme de ureia a 5%. Tomar o sol da manhã, por dez minutos, também ajuda a secar as lesões", diz Valéria Campos, da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Mas atenção! Você também pode estar sofrendo de uma doença crônica chamada hidrosadenite. "Encontrada nas dobras de axilas, virilha, seios e região do bumbum, ela afeta uma em cada 20 mulheres e pode evoluir de pequenos nódulos para grandes cistos vermelhos, que se assemelham a acnes", diz Sam Hay, médico australiano. O ideal é que você procure o seu dermatologista para um tratamento mais adequado.

4. Morro de vontade de fazer xixi quando estou transando. O que posso fazer?

R: As duas primeiras coisas básicas são evitar beber muito líquido antes do sexo (principalmente com cafeína e álcool) e ir ao banheiro logo antes do ato. Se essa vontade não for causada por uma patologia, como infecção urinária, não há motivos para você ficar encanada. "Durante a relação, o pênis estimula a uretra feminina, gerando uma sensação muito tênue de vontade de urinar, mesmo com a bexiga vazia", explica José Augusto Machado, professor adjunto de Ginecologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Experimente melhores posições para o sexo - como as que o homem fica por trás e o pênis tem menos contato com a uretra.

5. A pele entre meus dedos do pé coça e cheira mal. É grave?

R: Parece que você tem micose (frieiras), um problema comum. O melhor é usar um creme antifúngico três vezes por dia durante, pelo menos, duas semanas, tempo de a pele retornar ao normal. Procure um médico se o caso for mais extremo. Para evitar esse tipo de problema, mantenha o pé livre de umidade, secando-o bem com uma toalha - ou até um secador de cabelo. "Outra dica é usar cremes de cloridróxido de alumínio, à noite, que bloqueiam o canal do suor, diminuindo a umidade do pé durante o dia", diz Tatiana Gabbi, dermatologista do Hospital das Clínicas, em São Paulo. Também não se esqueça de checar os pés do companheiro. Se ele tiver infecção por fungo, você pode ser contaminada por dividirem o mesmo boxe de banho.

6. Desde que eu tive bebê, tenho flatulências vaginais. Por quê?

R: Elas são causadas pela flacidez dos músculos do assoalho pélvico, que pode ocorrer durante o parto. Isso é reparado com exercícios específicos para a região. "Ioga e pilates são bons para fortalecer o assoalho pélvico", diz a médica australiana Ginni Mansberg. Ou você pode ir a um fisioterapeuta especializado, que vai ajudá-la a treinar a musculatura certa. Bônus: também irá melhorar sua vida sexual.

VIA

Gostou? Então compartilhe:

A reprodução do conteúdo deste blog é permitida e incentivada, desde que citada e linkada a sua fonte.
Todas as postagens aqui são linkadas.
 
TOPO
Copyright © 2015 Pra Ficar Charmosa. Designer by OT | GT